Colônias no espaço?


Colônias no espaço?

16/04/2014

Uma ideia ambiciosa fazer casas no espaço ou seja colônias.Isso tudo está sendo ressuscitado por um think tank. Se você acha que isso soa absurdo, vale a pena observar este grupo previu viajar para Lua 30 anos antes de acontecer.
As colônias espaciais serão imensas espaçonaves com formato próximo ao de um cilindro, com um eixo central girando em velocidade constante. Tal rotação seria a responsável por criar a gravidade artificial que permitirá viver uma vida em condições semelhantes aos de nosso planeta.
Conceito de relançamento do Espaço think tank Britânico Interplanetary Society.Que revive uma ambiciosa idéia da Década de 1970 , Construir Enormes colônias no Espaço. (Nasa Ames Research Center). 
Imagine uma paisagem intocada de campos férteis e florestas e montanhas imponentes e Cidades prósperas espalhadas pelos campos.
Testes já começaram com a Estação Espacial Internacional.
Estação Espacial Internacional é um laboratório espacial completamente concluído, cuja montagem em órbita começou em 1998 e acabou oficialmente em 8 de Junho de 2011 na missão STS-135. A estação encontra-se em órbita baixa (entre 340 km e 353 km), que possibilita ser vista da Terra a olho nú, e viaja a uma velocidade média de 27.700 km/h, completando 15,77 órbitas por dia. 
Este conceito colônia espacial, elaborado pelo falecido físico Gerard O'Neill Princeton, em meados da década de 1970, mas seu ambicioso plano agora está sendo revivido pelo espaço think tank britânico Interplanetary Society (BIS). A organização tem formas de defender idéias que não são necessariamente tão descontroladamente excêntricas quando elas aparecem pela primeira vez. Na década de 1930 ele veio com um plano detalhado para um foguete multi-estágios e um módulo lunar tripulada , que se parece muito com a missão que 30 anos mais tarde foi entregue com sucesso a Nasa para que Neil Armstrong e Buzz Aldrin fossem à Lua.

Gerard Kitchen O'Neill

Ao ensinar física na Universidade de Princeton, O'Neill ficou interessado na possibilidade de que os seres humanos poderiam sobreviver e viver no espaço. Ele pesquisou e propôs uma idéia futurista para o assentamento humano no espaço, o cilindro de O'Neill, em "A colonização do espaço", seu primeiro trabalho sobre o assunto. Ele realizou uma conferência sobre fabricação e espaço na Universidade de Princeton em 1975.
O'Neill construiu seu primeiro protótipo de um motorista de massa(nome meio estranho!) com o professor Henry Kolm em 1976. Ele considerou motoristas de massa crítica para a extração dos recursos minerais da Lua e os asteróides . Seu livro premiado The High Frontier: colônias humanas no espaço inspirou uma geração de defensores de exploração espacial. Ele morreu de leucemia em 1992.
Britânico Sociedade Interplanetária (BIS)
Fundada em Liverpool(Londres) em 1933 por Philip E. Cleator, é a mais antiga organização de defesa do espaço no mundo. Seu objetivo é apoiar e promover a astronáutica e a exploração espacial. É uma organização sem fins lucrativos e é financiada por contribuições dos membros. BIS publica a revista acadêmica Journal of the Sociedade Interplanetária Britânica e da revista voo espacial . Ela está situada no Sul Lambeth Road ( A203 ), perto de estação de Vauxhall , e não muito longe do Serviço Secreto de Inteligência.
Na década de 1930, o principal trabalho da Sociedade Interplanetária Britânica foi explicar ao público que explorar o espaço não era uma idéia "ridícula", diz Jerry Stone, líder do Projeto de Estudo Avançando Colônia de engenharia (veja o que eles fizeram lá?). "E o que eu estou tentando fazer com o projeto colônias espaciais é algo semelhante, para mostrar que a construção de uma grande colônia espacial é tecnicamente viável"
Proposta colônia espacial original de O'Neill começou como um exercício para um grupo de estudantes da Universidade de Princeton. "É uma superfície planetária o lugar certo para uma civilização tecnológica em expansão", questionou-los. Depois de alguns meses, e um grande número de cálculos, a resposta veio um sonoro "não". Isto levou a se interessar em habitats humanos alternativos além da Terra, e ele concebeu naves giratórias gigantes contendo paisagística biosferas e habitação de até 10 milhões de pessoas.
Universidade de Princeton
"Há duas grandes vantagens da construção de uma colônia no espaço, em vez de um planeta", explica Stone. "Você tem a energia do Sol 24 horas por dia, para que possa concentrar-se essa energia natural para derreter materiais ou usá-la para gerar energia, e você pode girar o habitat para criar a gravidade que você deseja."
Estas colônias movidas a energia solar seria posicionadas em pontos de Lagrange, áreas estáveis no espaço onde as forças gravitacionais efetivamente equilibra o outro. Eles, portanto, não precisam de seus próprios sistemas de propulsão. Viajar para estas colônias levaria semanas, em comparação com os meses necessários para chegar a Marte.
Lagrange - Diagramas de movimento orbital de um satélite ao redor da Terra, mostrando a velocidade e aceleração.
A hipotética habitação permanente, autônoma e sustentada de seres humanos em outros locais que não o planeta Terra. É um dos principais temas da ficção científica, assim como o objetivo a longo prazo de vários programas espaciais, como a NASA e a ESA almeja.
National Aeronautics and Space Administration – (Administração Nacional da Aeronáutica e do Espaço)
Eu ropean Space Agency -(Agência Espacial Européia)

Postar um comentário

0 Comentários